As inovações do plástico

Para substituir materiais que se tornavam escassos ou que inviabilizavam a produção em escala industrial, o plástico apareceu como alternativa e logo se mostrou indispensável à evolução de qualquer segmento.


Foto: Freepik

Para entender a chegada do plástico na história, vamos voltar às primeiras descobertas que deram origem aos materiais plásticos que conhecemos hoje.


Vulcanizacão

Em 1839, um americano chamado Charles Goodyear criou o processo chamado de vulcanizacão da borracha, que tornava o material natural mais durável, resistente às variações de temperatura e também elástico, permitindo que fosse esticado e voltasse ao formato original.


Parkesina

Foi na Exposição Internacional de Londres de 1862 que o inglês Alexandre Parkes apresentou a “parkesina”, precursora da matéria plástica – uma resina feita de celulose, flexível, impermeável à água, que podia ser moldada quando aquecida e mantinha a forma quando resfriada. Uma boa substituta da borracha. Só não prosperou pelo alto custo de produção.


Celuloide

Com um propósito inicial de substituir o marfim nas bolas de bilhar, material que vinha se tornando escasso pela popularidade do esporte e ameaçava os elefantes, em 1870 o americano John Wesley Hyatt aperfeiçoou o celuloide, dando mais rigidez ao material.


Celofane

Tempos depois, em 1905, o engenheiro têxtil suíço Jacques Brandenberger inventou o celofane a partir da celulose, na tentativa de criar uma película protetora impermeável para toalhas de mesa.


Baquelite

Em seguida, foi a vez do químico belga Leo Baekeland, em 1909, dar início à revolução dos plásticos modernos ao criar o primeiro plástico totalmente sintético e em escala comercial: a baquelite ou resina fenólica, dura, rígida e resistente ao calor após ser moldada.


Polimerização

De 1930 a 1950, desenvolveu-se o processo de polimerização: a produção de plásticos se diversifica em vários polímeros: neoprene, EPS (Isopor®), PVC (vinil), poliuretano, PA (poliamida –náilon), PET, PTFE (teflon®), silicone, PP (polipropileno) e PE (polietileno).


Só mesmo com tantas variedades e possibilidades oferecidas pelas resinas plásticas que os diferentes setores conseguiram criar tantas soluções em um período tão curto da história.


INOVAÇÕES NA SAÚDE

Só de imaginar que antes do plástico as seringas e tantos outros materiais hospitalares não eram descartáveis, dá para perceber o quanto esse material contribuiu para diminuir os riscos de contaminação. Os preservativos são indispensáveis hoje em dia e grandes responsáveis por preservar vidas. Assim como cateteres, próteses, aparelhos auditivos, bolsas de soro, e outras inúmeras inovações que trouxeram maior expectativa e qualidade de vida para as pessoas.


INOVAÇÕES NO SETOR AUTOMOTIVO

Design, segurança e sustentabilidade. O setor automotivo se beneficiou em diversos aspectos com as novas soluções em material plástico. Do tanque de combustível mais resistente e seguro, ao para-choque com mais capacidade de absorver impactos e mais resistente à corrosão. Com as inúmeras possibilidades do plástico, os designers de carros conseguem desenvolver projetos mais leves, com melhor aerodinâmica e mais sustentáveis.


INOVAÇÕES NA CONSTRUÇÃO CIVIL

A construção civil é um dos setores que mais utiliza o material plástico para oferecer soluções com custos acessíveis, duráveis, leves e de fácil aplicação. As inovações do material viabilizam projetos nas mais diferentes áreas, como: Arquitetura, Canteiro de Obras, Drenagem, Elétrica, Gás, Telecomunicações, Estrutura, Hidrossanitário e Industrial.


INOVAÇÕES NO SETOR ELETROELETRÔNICO

O grande benefício do plástico para as indústrias da tecnologia, comunicação, eletrodomésticos, ou mesmo da música e do entretenimento, foi trazer mobilidade e acessibilidade com aparelhos mais leves, mais práticos e mais eficientes.


INOVAÇÕES NO SETOR TÊXTIL

As fibras sintéticas deram à indústria têxtil possibilidades ilimitadas na criação de vestuário, acessórios, estofados (couro sintético) e muito mais. Produtos cada vez mais resistentes, versáteis e duradouros.


INOVAÇÕES NA ALIMENTAÇÃO

A grande revolução do plástico no setor da alimentação foram as embalagens, que passaram a proteger os alimentos do transporte até o momento de consumo. Com as embalagens, hoje é possível prolongar a vida útil do alimento, evitando a contaminação e o desperdício.


INOVAÇÕES NA AGRICULTURA

Do pequeno ao grande produtor rural, o plástico trouxe vantagens que seriam impensáveis tempos atrás. Desde sistemas de irrigação, que permitem culturas em qualquer tipo de solo, às estufas, que possibilitam criar um ambiente ideal para o desenvolvimento da planta, evitando a perda com geadas ou pragas. Outro benefício foi a facilidade de instalação e baixo investimento do silo bolsa, que armazena os grãos após a colheita.


INOVAÇÕES EM SUSTENTABILIDADE

Em geral, o plástico deixou os produtos mais leves e com menor impacto ao meio ambiente em seus processos de fabricação, quando comparados com ciclos de vida de diversos outros materiais.


Os Bioplásticos ou Biopolímeros, por exemplo, são uma nova solução para que o material continue nos trazendo cada vez mais benefícios, pois são plásticos produzidos a partir de fontes renováveis que podem ser ou não biodegradáveis*.


Fonte: Movimento Plástico Transforma, com informações CARTILHA BRASKEM “O Plástico no Planeta”

5 visualizações0 comentário