top of page

Artista retrata ‘David’ de Michelangelo com tampas de plástico

Nas instalações da Cada D’Italia, em Maracaibo, capital do estado de Zulia, no oeste da Venezuela, foi criado um mural composto por milhares de tampas de plástico que recriam o icônico rosto de David, esculpido por Michelangelo Buonarroti, um dos maiores artistas da história.


O responsável por esse projeto inovador é Oscar Olivares, um jovem artista plástico autodidata da Venezuela. Sua empreitada busca não apenas trazer parte da cultura italiana e da arte renascentista de um dos gênios mais proeminentes para seu país, mas também prestar uma homenagem criativa ao planeta por meio do uso de tampas plásticas.


”Embora a obra não fale da natureza, tudo isso é em prol de ajudar o meio ambiente. Estamos reaproveitando mais de 175 mil tampas e sinto que poder fazer um rosto tão grande com tampas é algo muito impressionante”, afirma.


As tampas plásticas são colocadas em uma enorme parede, na qual o Coliseu ocupa uma posição central, ao lado de Pietà, outra obra de Michelangelo, e pelo rosto do próprio "David". Este mural, que ostenta impressionantes proporções de 20 metros de largura por 8 metros de altura, é feito com tampas de plástico de diversas cores, predominando o azul. Com a altura imponente, ele se consagrará como a obra mais alta do país e a terceira maior da América Latina.


Homem em pé num andaime, em frente a um mural com o rosto de David de Michelangelo
Imagem: Jornal Nota

A realização desse projeto possibilitou ao artista uma reinterpretação diante da escassez de tampas azuis claras para seus murais na Venezuela. Ele empregou um padrão alternado de tampas, incluindo uma pequena tampa azul clara intercalada com uma tampa transparente, criando uma gama de tons de azul, do claro ao escuro, na representação do rosto de "David".


Segundo Olivares, um mural com tampinhas plásticas “não vem apenas de uma inspiração divina, mas de um grande processo de organização”, como a coleção de tampas que começou em novembro passado com o apoio da diretoria da Casa D’Italia e empresas de reciclagem, que doaram até 600 quilos de tampas, ou seja, mais de 200 mil unidades.


”Este é o mural mais internacional que já fiz porque evoca a cultura da Itália, e o primeiro que fiz por um artista italiano”, diz o artista plástico, que tem mais de 20 murais em cerca de 22 países. O venezuelano confessa que quer aumentar a consciência ecológica com este trabalho.


Entre seus próximos projetos está a realização do primeiro mural de tampas na Europa, na Itália, e também outro nos Estados Unidos, e na América Central.


Futuro sustentável


Este projeto demonstra não apenas criatividade, mas também promove a conscientização sobre a importância da reciclagem do plástico. Quando descartado corretamente e reutilizado, o plástico revela sua versatilidade e seu potencial como um recurso amigo do meio ambiente.


A Pampack sabe a importância do tema e se envolve no processo de reciclagem do plástico por meio de suas embalagens, adotando os princípios dos 3Rs (reutilizar, reciclar e reduzir). Buscamos desempenhar um papel crucial na promoção de práticas sustentáveis, contribuindo para um futuro mais responsável e ecologicamente consciente.


Fonte: Assessoria Pampack com informações de Estadão

Commentaires


bottom of page